GOD of WAR CHAIN of OLYMPUS em PORTUGUÊS pra ANDROID

  

God of War: Chains of Olympus é um jogo eletrônico de ação/aventura desenvolvido pela Ready at Dawn para o console portátil PlayStation Portable e pela Santa Monica Studio para o PlayStation 3. O jogo é o segundo título cronológico da série de jogos eletrônicos God of War e a prequela do primeiro God of War. O jogo foi lançado no ano de 2008, em 4 de março para a América do Norte, em 28 de março para a Europa e 10 de julho para o Japão. Este jogo é o segundo projeto desenvolvido para PSP pela Ready At Dawn, que foi responsável pela produção do sucessivo Daxter. Durante dez anos de Kratos servindo aos deuses do Olimpo, ele é enviado a cidade de Ática para ajudar a defender a cidade da invasão do exército persa. 

Após ter matado com sucesso o Rei Persa, dizimando seu exército e seu bicho de estimação, o basilisco, Kratos observa o sol cair do céu, mergulhando o mundo na escuridão. Kratos luta pelo seu caminho através da cidade de Maratona e testemunha a névoa negra do olimpiano Morfeu, que agora cobre a terra na escuridão. Kratos também ouve uma melodia de flauta assombrosa na qual eventualmente reconhece como a canção uma vez tocada por sua Filha, assassinada por ele próprio, Calíope.

Encontrando o Templo de Hélio, Kratos é encarregado pela deusa Atena para encontrar o deus do sol desaparecido, no que na absência de luz, Morfeu causou os deuses restantes a cair em torpor profundo. Kratos eventualmente localiza Eos — a irmã de Hélio — que aconselha que o Titã Atlas, abduziu seu irmão. Kratos recupera os Fogos Primordiais necessários para acordar os cavalos de fogo de Hélio, que levou o Espartano para o Submundo, onde ele teve dois encontros com Caronte no rio Estige. Embora Caronte inicialmente derrota Kratos e o expulsa para Tártaro, Kratos retorna e destrói Caronte.

Kratos durante uma batalha no jogo.

Eventualmente localizando o Templo de Perséfone e confrontando a Rainha do Submundo, Kratos recebe uma escolha: renunciar seu poder e ficar com sua filha falecida (a um custo para a humanidade) ou proceder com sua missão. Kratos sacrifica suas armas e poder para estar reunido com sua filha, mas descobre que Perséfone é amarga por ter sido traída por Zeus e sido forçada a permanecer ao submundo com seu marido, Hades. Enquanto Kratos estava distraído pela sua reunião com Calíope, o aliado de Perséfone, Atlas, estava usando o poder do sequestrado Hélio para destruir o pilar que segura o mundo, que também terminaria com o Olimpo. Escolhendo a abandonar Calíope para sempre, Kratos toma de volta seu poder e amarra Atlas ao pilar que ele procurou destruir — forçando o Titã a agora segurar o peso do mundo em seus ombros. Kratos luta com Perséfone até a morte, e embora vitorioso, ele é advertido por uma agonizante Perséfone que seu sofrimento nunca acabará. Atlas também avisa a Kratos que ele eventualmente se arrependerá por ter ajudado os deuses, e que eles se encontrariam novamente.

Montando na cavalaria de Hélio de volta ao céu e vendo o retorno do sol, um lúgubre Kratos então perde a consciência pelo seu esforço e mergulha até o solo. Kratos, no entanto, é salvo por Atena e Hélio, que então retornariam ao Olimpo.